Relato de contato com Pleiadianos

Posted on 8 de março de 2010

34


O relato a seguir trata de uma experiência ocorrida no mês de junho de 2.009. Como diz respeito a seres que transcenderam o plano material denso o contato ocorreu no plano psíquico (“astral”, “emocional”, “da alma”). Primeiramente, é preciso esclarecer as formas como se desperta conscientemente em astral. Pode-se sair conscientemente através de práticas antes de adormecer, pode-se despertar conscientemente quando já em estado de repouso ou acordado em estado vibracional (“catalepsia projetiva”) sair. Neste caso, foi a 2ª opção. Despertei em astral conscientemente.

Despertei e estava em minha casa em minha sala de estar. Estava sentado no sofá e vi 3 seres em minha casa todos exatamente iguais na aparência física. Eram altos (creio que entre 1,90m/2m, um era um pouco menor entre 1,75m/1,80m), magros, usavam macacão azul, cabelos compridos em um tom meio loiro/mel, o cabelo era volumoso, cheio, meio que ondulado, era amarrado mas não em uma forma como geralmente homens e mulheres usam aqui, era amarrado mais para cima da cabeça. Os olhos e sobrancelhas eram da mesma cor dos cabelos (loiro/mel), a púpila dos olhos não era redonda como a nossa, era mais em forma oval. A pele era clara mas em um tom dourado um pouco menos dourado que a cor dos olhos, sobrancelhas e cabelos. Percebi que se tratava de uma família sendo que era um pai, uma mãe e um filho. Eram sorridentes.

De alguma forma sabia que não poderia me manifestar para eles e tentar interagir por isso fiquei na sala fazendo parecer que estava inconsciente, como desacordado, apenas olhando as coisas com leves aberturas dos olhos. Quando me perguntam como sei destas coisas em astral (se é através de conversas, gestos, símbolos e  etc.) não sei o que responder pois não sei como sei; apenas sei. É algo que simplesmente você se sente e se deixa guiar não é como aqui no físico que se precisa usar os sentidos físicos para tudo. O filho ficou comigo na sala, ele estava rindo mas não ria de uma forma amigável como se quisesse interagir comigo; ria pela condição de inconsciência que eles sabiam que os humanos tinham e que ele pensava que eu também teria.

Pelo que entendi deles (e de outras experiências no plano astral) as visitas feitas por extraterrestres aos humanos enquanto dormem são situações corriqueiras mas como as ´pessoas não são despertas em astral acabam não se dando conta disso e assim eles podem fazer o que quiserem. Isso fazia o filho deles nos ver como algo “engraçado” (pela inconsciência). É através desta inconsciência que muitas experiências são feitas no corpo astral/psíquico dos humanos através de chipamentos (dentre outros) e para evitar que isso ocorra é preciso ser ativo e desperto em astral pois quando tentarem fazer algo a pessoa toma consciência e não se deixa ser usado. Enquanto fiquei na sala com o filho deles (ele estava rindo muito, achando que eu estava inconsciente e eu estava sentado no sofá como quem estivesse deitado e abatido, mas olhando o que ocorria), os pais dele foram até o quarto de minha mãe.

Na época minha mãe estava com um problema muito grave no joelho e isso era algo que me fazia sofrer ver minha mãe sofrendo. Ela havia feito uma cirurgia mas não havia adiantado muito e sua dor continuava muito forte. Não posso afirmar com certeza se foi realmente isto que ocorreu, isso não me veio em astral, mas veio no físico, tenho pra mim que eles possam ter de alguma forma ajudado a minha mãe com a forte dor que ela tinha, através de algum tipo de “cirurgia” ou amparo no plano espiritual. Isto é algo que acontece muito no plano psíquico, muitos nos ajudam e muitos de nós ajudam os de lá. Sei que um tempo depois minha mãe já não sentia dor alguma no joelho, a dor desaparecera completamente. Não digo que foi exatamente no dia seguinte após ter ocorrido isso, mas foi pouco tempo após (“pouco” no sentido de que minha mãe já estava há algum tempo tentando tratamento com a medicina convencional e não havia resultados satisfatórios).

Estava no sofá, sabia que eles estavam no quarto de minha mãe e depois vi um clarão de luz branca muito forte, como que ofuscando a casa toda, algo bem rápido. Entendi que após terem o contato com alguém em astral, mesmo que a pessoa estivesse inconsciente, emanavam uma luz de algum tipo de objeto, para que a pessoa esquecesse de tudo que havia acontecido. Fizeram isso com minha mãe e depois passariam por mim (na sala) para depois sair da casa. Depois que o casal saiu do quarto de minha mãe e passou pela sala era como se fosse a vez de emanar o clarão para em mim também. Como eu já estava fazendo parecer que estava desacordado e inconsciente, fechei os olhos e fiz parecer isto mais ainda pois sabia que se emanassem aquela luz para mim eu iria esquecer de toda a experiência. Então eles não emanaram a luz e saíram.

O que o filho deles pensava de nós (claro que por ser criança há sempre uma imaturidade natural), rindo como se ri quando se brinca com um cachorrinho que se enrola e se atrapalha com um tapete, rindo de nossa inconsciência, mostra o quanto nós apenas fazemos parte de uma cadeia cósmica e que existem seres superiores e mais desenvolvidos que nós e que isto é algo que tem que se pensar de verdade, não apenas dizer da boca pra fora. Muitos dizem que existem seres superiores, mas dizem da boca pra fora, não conseguem se ver como inferiores a eles e não conseguem vê-los como superiores a si mesmo. Dizem que existem seres superiores, mas seu Ego não aceita de forma alguma e estes seres são realmente superiores a nós e sabem disso, por isso fazem muitas coisas conosco sem se ater a conceitos morais de “bem” e “mal” (como temos aqui na Terra) e por vezes isto é mera questão de percepção. Alguns podem chamar de “demônios” o que são espíritos desencarnados, uns podem chamar de “anjos”(ou até mesmo deuses) o que são extraterrestres.

Através de estudos e experiências você acaba entendendo o motivo de reptilianos andarem sozinhos, pleiadianos em família e grays em dupla. Cada raça extraterrestre tem sua própria história e há motivos para os pleiadianos andarem em família. Em relação ao que se fala dos pleiadianos, o que pude comprovar é que a aparência física deles é realmente como dizem (altos, loiros, sorridentes, macacão azul, cabelo comprido, magros, altos), não andam sozinhos e nos visitam com freqüência. Mas não posso dizer que todos os pleiadianos são do bem, por mais que não sejam “maus”, também não são seres perfeitos e pelo que pude perceber por um 2º contato que tive, eles também têm seus problemas assim como nós também o temos e não há necessidade dos humanos divinizá-los da forma que o fizeram e alguns ainda o fazem.

Eles podem nos ajudar, se quiserem, mas não são obrigados e se o fazem, não precisam ser divinizados por isso. Após esta experiência ainda iria entrar em contato com eles mais uma vez, mas por questões e fatores bem diferentes.

Contato: http://rudyrafael.wordpress.com/contato/

Para ler outros textos relacionados ao tema consulte o etiquetado abaixo.

About these ads
Posted in: Rudy Rafael