OFF – Graças a Deus, Obina é OFF

Posted on 22 de janeiro de 2010

1


 

Depois de um maravilhoso ano em que o Mengão conquistou para sempre a hegemonia de seus limites estaduais e voltou a dividir a hegemonia do futebol nacional com o time de camiseta branca e listras nada poderia ser pior do que ver a volta do jogador (?) Obina. Após ter passado 1/2 ano (“meio”, 50%”, “metade”, “semi”) sem marcar um único gol com a camisa do Maior do Mundo e uma temporada no time verde o jogador Obina havia voltado ao Mengão e o desespero bateu geral na nação. Aquele mesmo desespero que o torcedor bem vestido do Mengão teve em 2.008 ao ver o Maior do Mundo tendo que depender deste jogador chamado Obina e que passou 1/2 ano (“meio”, 50%”, “metade”, “semi”) sem marcar um único gol estava de volta.

Ele havia voltado e “com fome de Flamengo” (como se o sonho de 90% dos jogadores de futebol do mundo não fosse vestir o manto sagrado), assim como o desespero ao 1.º minuto de jogo de 2.010. Os argumentos utilizados pelas obinetes para apoiar a permanência do jogador Obina no Maior do Mundo são os mais não-bacaninhas possíveis: “Obina é simpático” (simpatia não ganha jogo), “Obina é carismático” (carisma não ganha jogo), “Obina fez gol em jogos importantes” (ele ganha pra isso), e etc. Mas a fé é algo inerente ao rubro-negro. Deus é flamenguista e a fé nos pertence. E nossas preces foram atendidas.

Graças a Deus, o torcedor rubro-negro não vai mais precisar sofrer assistindo o jogador Obina no Mengão. Ele foi vendido e assinou contrato com o 3º time de maior torcida do estado de Minas Gerais (1.º Cruzeiro (MG), 2.º Mengão e 3.º Atlético/MG). Dizem que o universo conspira a favor do ajustamento e que Deus poderia até ser uma lei que equilibra e harmoniza tudo e, assim acabou sendo feito. Obina é jogador do Atlético/MG. Para quem pensava que teria que assistir o jogador Obina em um jogo de Libertadores e em Dubai, agora poderá vê-lo no cada vez mais nítido fim do Atlético de Minas Gerais, o qual ainda não conseguiu se adaptar à primeira divisão e sempre treme só de ouvir o nome do Mengão.

Assim como o universo também tem seus momentos de caos, houve um momento de caos onde o Atlético/MG voltou à 1ª divisão do futebol nacional, mas isto é questão de tempo até que o Cósmico reajuste a situação, assim como fez levando Obina para o time das Minas Gerais. O time que está há quase 40 anos sem ganhar um título que não tenha sido disputado apenas contra o Cruzeiro. Deus é justo e perfeito, e, é por ele, tão somente por ele, que Graças a Deus, Obina é OFF. OFF Flamengo.

 

Contato:

 

Para ver outras publicações relacionadas ao tema consulte o etiquetado logo abaixo.

Marcado:
Posted in: Rudy Rafael