Espíritos elevados apanham mais em lutas corporais

Posted on 13 de fevereiro de 2010

16


A humanidade, como civilização estagnada em evolução que é, acaba recebendo a ajuda de espíritos superiores para evoluir e evoluir mais rápido. As civilizações mais evoluídas sabem que o que é ruim para o seu vizinho é ruim para eles mesmos e sabem que quando uma civilização não evolui isto atrapalha a evolução de todo o universo. Assim, se dispõem a ajudar em pról do Todo. A Terra acaba recebendo encarnações de espíritos mais evoluídos que vêm ajudar o planeta com novas idéias, quebrando paradigmas e trazendo toda uma nova forma de conscientização, objetivando ajudar o homem a evoluir espiritualmente. Alguns vêm por conta própria e outros vêm porque obedecem uma ordem hierárquica superior.

Espíritos (“consciência”, “almas”, dependendo da nomenclatura adotada por cada religião, escola, filosofia e etc.) que vieram de civilizações superiores por mais que tenham facilidades em algumas coisas têm dificuldades em outras e acabam não sabendo como lidar em certas situações. Uma delas é a violência física. Em civilizações mais evoluídas não existe a violência física como existe aqui na Terra. Esta coisa de alguém atentar contra o corpo de outra pessoa só existe aqui e em civilizações de baixo grau de evolução como este planeta (mesmo que sejam minorias no universo as civilizações com tamanho baixo grau de evolução).

Espíritos elevados não sabem lidar com isso. Existem outras formas de agressões, como a invasão de corpo áurico, quando uma pessoa se impõe sobre à outra tentando conseguir algo através da força emocional e pretensiosa. Dentre as três unidades do cérebro humano temos o arquipálio (além de paleopálio e neopálio), o cérebro primitivo, uma forma de consciência cerebral menos evoluída e que é responsável pela autopreservação e agresssão; que se destaca em muitas pessoas, também chamado de “complexo-R” por alguns neurocientistas. O complexo-R age como um cérebro de réptil. É o clássico “bateu/levou”. É o réptil que está em sua moita, quieto, mas se passa alguém e ele se sente ameaçado ataca fervorosamente a fim de proteger aquilo que irracionalmente interpreta como uma ameaça, sem pensar.

O homem se conceituou como possuidor. Pensa que as coisas, a natureza, a terra, a água e até mesmo as pessoas lhe pertencem e ao menor sinal de que possa perder aquilo que julga possuir, agride e ataca, como o réptil. O Ego também protege a si mesmo. O Ego cria idéias e faz a pessoa achar que é suas próprias idéias. Quando alguém contesta estas idéias o Ego age  defendendo o que considera ser ele mesmo. Como o réptil a pessoa ataca o outro de maneira feroz através da hostilidade e agressividade. O espírito estagnado age sem ponderar, esperar, meditar e raciocinar. É “olho por olho” sumário. Objetiva a proteção de si sem saber quem realmente é pois o Ego lhe cegou.

O meio de vida em que vivemos também ajuda à perpetuação do complexo-R como norteador da consciência da humanidade. As pessoas vêem as outras como uma potencial ameaça ao que é seu.O homem que se vê como possuidor da mulher e ao ver outro homem perto da mulher que ele julga ser sua parte para a briga. A pessoa que hostiliza o que tem a mesma graduação por vê-la como uma potencial concorrência ao mercado de trabalho. A pessoa que tem medo de perder amigos ao ver que outra pessoa os cativa. A pessoa que tem medo de não ser o centro das atenções do grupo, a pessoa quer ser a mais bonita do grupo, a mais inteligente, a mais interessante e ao ver uma potencial ofensa a este espaço acaba por agredir, fisicamente ou hostilizando.

Estas condutas são manifestações do complexo-R em ação, a parte mais estagnada e involuída do cérebro que comanda a grande parte de toda a humanidade no presente. O cérebro é a sede de nossa consciência neste plano e os espíritos evoluídos, encarnando neste plano, utilizando deste corpo físico como veículo de manifestação da consciência, acabam por terem problemas na manifestação do complexo-R pois a sua consciência não estava adaptada a um modo de vida onde tanto a autopreservação pelo mundo competitivo e a agressão eram necessárias à sobrevivência. Em civilizações mais evoluídas as pessoas não lutam pela sobrevivência como aqui. Lá elas têm tudo o necessário para sobreviver e ocupar seu tempo com a busca e elevação espiritual.

Apenas neste planeta o homem precisa penar para sobreviver e pouco tempo lhe sobra para buscar sua espiritualidade. A agressão física não faz parte dos espíritos mais elevados pois é um tipo de consciência transcendida a milhares e milhares de anos por sua civilização. Seria como forçar o homem que hoje anda ereto a utilizar também as mãos para o deslocamento. A consciência já não está mais apta a isso. Esta parte do cérebro, o complexo-R, a parte instintiva, não tem mais atividade nos espíritos elevados, que não conseguem agir instintivamente. Quanto mais elevado um espírito, maior a comunhão com Deus.

Estes espíritos sabem que não precisam fazer certas coisas pois tudo se ajustará perfeitamente e a lei cósmica se cumprirá. Eles não precisam odiar e bater em quem faz o mal pois sabem que toda ação tem uma reação e assim, passados milhares de anos, a violência física acaba deixando de fazer parte da vida destes espíritos e quando confrontados na Terra em uma luta, não sabem como agir. É importante frisar que não é por um espírito ser evoluído que irá atrair somente coisas boas pois a história confirma o tanto de iluminados que sofreram violência física por parte da sociedade, muitos sendo até mesmo mortos.

Ocorrendo uma luta, estes espíritos não sabem como agir, justamente por terem vindo de lugares onde não se tem a mínima noção do que fazer em tal situação. Levam um soco na face e além de não saber como agir não se sentem obrigados a se defender batendo no outro pois carregam em si um amor tão grande pelo próximo que lhes impede de agredir o outro por mais que a sociedade nos permita agredir o outro em legítima defesa. O reflexo destes espíritos é menos apurado pois não agem conforme o “bateu/levou”. Suas reações não são instintivas e animalescas. Existem pessoas que basta alguém encostar que impulsivamente reagem dando um soco para trás pois a sua consciência estagnada interpretou um simples toque como uma ameaça à sua integridade assim como reagem alguns animais e até mesmo plantas.

Na questão de violência física não é de se admirar que espíritos superiores venham a apanhar dos outros tanto por não saberem o que fazer em tal situação como por terem amor ao próximo. Quando Jesus disse para “dar a outra face” muitos entendem como uma alegoria, entretanto, interpretando de forma literal isto também faz sentido. Na história temos casos de muitos iluminados que ao virem e trazerem mensagens de amor e evolução de consciência sofreram agressões físicas e perderam até mesmo suas vidas mas nunca agrediram o próximo e  isto além de ter vindo do conhecimento da perfeição de Deus (onde nada é por acaso) tinham vinha do amor que tinham e os que vieram de outras civilizações mais evoluídas não tinham a mínima idéia do que fazer em uma luta corporal, em  atentar contra o corpo físico de outro para proteger o seu mesmo.

A luta corporal é vencida pelo mais ágil em seus movimentos, o mais instintivo.  Muitas artes marciais foram baseadas em movimentos de animais. Aquele que quiser vencer uma luta deve ser ágil e instintivo como um animal, agir como um animal e espíritos evoluídos estão longe de agir assim.

 

 


 

. Para se inscrever para receber por e-mail informações sobre novas publicações neste site basta inserir o endereço de e-mail no campo que se encontra logo acima do botão “Inscrever-se” que se encontra no canto esquerdo da tela deste site logo abaixo de minha foto e seguir as instruções.

.. Contato: https://rudyrafael.wordpress.com/contato/

∴ Para ver outras publicações relacionadas ao tema consulte o etiquetado logo abaixo.

 

Posted in: Rudy Rafael