A Noite Negra da Alma não é dor de Corno

Posted on 17 de abril de 2011

15


A Queda do homem, entendida facilmente pelo distanciamento entre Kether e Malkuth, não apenas gerou os próprios efeitos deste afastamento, e que explicam-se por si só, como a confusão em Malkuth. A Torre de Babel é a confusão psicológica (psíquica e mental) que o homem vive em Malkuth, já que antes fazendo parte de um Todo perfeito em Kether agora vive este mesmo Todo perfeito estilhaçado em Malkuth, razão de suas limitações e imperfeições. É como um quebra-cabeça de zilhões de peças em que cada um possui uma peça e desconhece as peças dos outros, mas jura saber qual é figura do quebra-cabeça. A Lei única do Amor em Kether também foi estilhaçada em Malkuth e assim surgiram as outras leis cósmicas e que nada mais são que reflexos da emanação da Lei Maior.

Por esta divisão do Todo em Malkuth é que o homem tem a necessidade de conceituar, dividir, demarcar, definir e limitar, pois sua mente limitada (correspondendo interno e externo) precisa trabalhar com parâmetros para funcionar, como o tempo e o espaço. Os conceitos são mais que importantes para a existência em Malkuth, são essenciais e necessários à própria existência do espírito atrasado que vive em Malkuth como Malkuth e não faz questão que seja diferente. O homem precisa conceber tudo como certo ou errado, bem ou mal e bom ou ruim, pois é incapaz de analisar a totalidade e abstrair a essência do Ser. Em razão da necessidade de conceituar, até mesmo para fins pedagógicos, surge o termo “A Noite Negra da Alma” no meio esotérico como conceito emergente.

A Noite Negra da Alma, termo místico amplamente utilizado pelos rosacruzes e existente em princípio em outras religiões e filosofias mesmo que com nomenclaturas diferentes (assim como o passe dos espíritas é a oração com imposição de mãos dos evangélicos), vem adquirindo, em razão do vitimismo preexistente em toda alma fraca e covarde, da ignorância dos insuficientemente instruídos e do egocentrismo chulo dos imbecis, um conceito que difere do que em verdade se pretende suscitar com o termo. A Noite Negra da Alma foi maculada para servir de sustentação a dramas pessoais de pessoas que acham que são o centro do universo e de pessoas absurdamente ignorantes das leis cósmicas. A razão do conceito pedagógico na instrução espiritual foi desprezada por lentinhas vencidas, azedas e estragadas.

Pelas coisas mais naturais possíveis e pela aplicação das mais variadas leis cósmicas as pessoas dizem estar vivendo a Noite Negra da Alma. O homem leva chifres da mulher e acha que está passando pela Noite Negra da Alma, não acha que ela simplesmente exerceu seu livre-arbítrio e fez o que queria ou porque ele não dava no couro. A mulher fica chorando dizendo que a sogra está jogando o filho contra ela e diz que está passando pela Noite Negra da Alma. Alguém de 90 anos morre e a pessoa que sofre o luto diz passar pela Noite Negra da Alma, como se a morte não fosse algo natural e principalmente para os idosos. A mulher não tem atenção do namoradinho e diz que passa pela Noite Negra da Alma, o homem é demitido ou perde dinheiro e fala o mesmo. E o chororô, que é livre, não tem fim.

O próprio termo, Noite Negra da Alma, explica bem o seu significado. A noite já é negra e “noite negra” poderia ser considerado pleonasmo, mas em relação à expressão mística não é. A noite faz parte da vida de todos e a escuridão, os problemas, os infortúnios, as dores, as doenças, os desafios e as tristezas vêm para todo aquele que vive na dualidade e na matéria. As dificuldades são tão naturais quanto a noite e dramatizar a vida achando que os seus problemas são os únicos, os piores e os maiores do mundo nada mais é que egocentrismo chulo e mitificar a aplicação de leis cósmicas é ignorância. A Noite Negra da Alma não é o ordinário trazido pela escuridão que todos vivem, é o extraordinário. É a escuridão da noite potencializada por outra escuridão, por isso a noite torna-se negra.

Sendo uma experiência de exceção, obrigatoriamente não pode ter relação com situações corriqueiras e vivenciadas constantemente pela consciência. Em toda a existência de um espírito este já sofreu por inúmeras mortes, doenças, abandonos, rejeições, rompimentos amorosos, pobrezas e fofocas de sogras, por onde que tal experiência de sublimação não pode ter relação com tais cousas, assim como tudo aquilo que é natural. Animais também sentem dor, têm doenças, sofrem pelas ações da natureza, sofrem acidentes e passam fome, frio e sede. Se determinado sofrimento é vivenciado pela natureza é de se entender que tal situação é natural e assim não há de ser considerada ruim, já que Deus em sua perfeição e sendo criador de todos não iria de proteger uns e largar outros à própria sorte.

Como se trata de uma experiência para o espírito é certo que poderá ter reflexos na matéria, mas não causas. Ninguém passa pela Noite Negra da Alma para ser aprovado em um concurso público e adquirir estabilidade financeira ou para ser promovido no emprego e ganhar mais dinheiro, para curar um corpo físico que a terra há de consumir e para formalizar uma união amorosa temporária na existência. É um processo de sublimação do espírito e para o espírito, uma evolução do Eu Interior e no que diz respeito a ele e seus atributos imortais. É para quem busca a Deus e quer resolver a sua situação com Ele. Vivendo na dualidade e aprendendo com ela o homem precisa experimentar os opostos e a Noite Negra da Alma é o conhecimento de Deus por sua ausência. Quem não busca em verdade a Deus não passará por isso.

A Noite Negra da Alma não é a perda dos pais, dos filhos, do cachorro, do gato, do emprego, do namorado, da esposa, da saúde, da paz ou da conta poupança, mas de Deus. É quando chegando cada vez mais próximo de Deus se é obrigado a encarar o oposto de tudo aquilo, o reflexo oposto de toda a beleza, paz, harmonia e Amor encontrados, pois tudo é Deus e emana de Deus; o belo e o feio, o bom e o ruim e o bendito e o amaldiçoado. Em Kether não há lugar para nada além do Amor, nem para a rejeição do mal. Quem quiser ter com os anjos terá que ter com os demônios. Para viver no céu é preciso conhecer o inferno, para conhecer Deus é preciso ter com o Diabo e para saber o que é viver em Deus é preciso saber o que é viver sem Ele. Aí está a Noite Negra da Alma. O resto é dor de corno.

 

 


 

. Para se inscrever para receber por e-mail informações sobre novas publicações neste site basta inserir o endereço de e-mail no campo que se encontra logo acima do botão “Inscrever-se” que se encontra no canto esquerdo da tela deste site logo abaixo de minha foto e seguir as instruções.

.. Contato: https://rudyrafael.wordpress.com/contato/

∴ Para ver outras publicações relacionadas ao tema consulte o etiquetado logo abaixo.

 

Posted in: Rudy Rafael