Relato de contato com o arcanjo Auriel

Posted on 11 de setembro de 2011

19


As narrativas religiosas, principalmente as antigas, que descrevem seres espirituais com aparências incomuns têm sido mitificadas pelo homem atual, principalmente por aqueles com desenvolvimento espiritual incompleto ou retardado. O incapaz de ter uma experiência espiritual não aceita que outros a tenham e assim passa a tentar destruir tudo aquilo que os outros têm. “Se eu não vejo, ninguém vê”, “Se eu não ouço, ninguém ouve” e “Se eu não acredito, não existe” é o discurso dos incapazes. É certo que a incapacidade de uma pessoa não faz verdade. Não é porque uma pessoa é absolutamente incapaz de comprovar uma verdade espiritual que esta não exista e aquele que busca o desenvolvimento espiritual, a tão especulada evolução, deve se ater ao que realmente importa, a Verdade, não perder seu tempo com pessoas que nada têm a dizer. Ficar o dia inteiro ouvindo “Isso não existe” não muda a vida de ninguém.

Acerca das religiões e suas representações, aquilo que os incapazes tratam como simbologia e alegoria na imensa maioria das vezes foi verdade. O ignorante da Verdade e incapaz de voltar ao passado diz que o deus Osíris do Antigo Egito era representado com pele verde porque tal cor representava a agricultura ou a fertilidade, assim como em sua mente fantasiosa inventa toda sorte de palhaçadas para justificar ao intelecto a verdade que ignora. Mentalmente, pura falta de marido. Se algo não pode ser provado, tampouco provado negativamente, deveria ao menos haver o interesse na busca pela comprovação, mas não há. Não existe representação religiosa, por mais fantasiosa que possa parecer, que não possa ser compreendida no que realmente significa, pois é certo que tais imagens não surgiram do nada. Recentemente tive a oportunidade de ter contato com o arcanjo Auriel, por onde, encontrando-o pessoalmente, pude mais uma vez exercer o que unicamente me importa na espiritualidade: a prática e a experiência pessoal.

Toda religião possui a sua função e a razão de ser exatamente como é. Ela, assim como as artes, a ciência e a filosofia, fazem parte da relação quádrupla do homem consigo e com os outros. Aquele que naturalmente se desinteressa por uma destas quatro fontes, que se associam com os quatro elementos e os quatro naipes do tarot, obviamente possui algum retardo espiritual. Somente um imbecil poderia achar que o sobrenatural representado nas figuras religiosas é fruto do nada e o mais imbecil ainda não procura entender este sobrenatural, apenas relincha seus dogmas irracionais de “Isso é representativo” e “Isso é alegórico”. Certamente utilizar o cérebro lhe cansa e é mais fácil definir tudo desta forma. No que tange aos anjos da tradição judaico-cristã, existem justificativas reais da razão destes seres serem representados como e da forma que são. Apenas para o tolo as coisas são por acaso.

Há diferença entre compreender a espiritualidade intelectualmente através da assimilação do que vem dos outros e compreendê-la pela experiência própria e prática. Macacos experimentam o alimento para analisar se gostam, o homem não, se alguém lhe diz que algo é ruim, ele diz, acha e zurra ao mundo todo que é ruim. A diferença entre os homens está apenas em quem estes escolhem como suas fontes. Através do meu contato pessoal com o arcanjo Auriel comprovei que nada do que é descrito sobre os anjos pela tradição judaico-cristã é à toa. Tudo faz sentido, tudo é justo e perfeito e tudo está em perfeita harmonia com a Verdade. Aquele que puder entrar em contato direto com um anjo poderá comprovar na prática aquilo de que tenha conhecimento pela assimilação do que vem dos outros; aquilo que chamam de estudo e que nada mais é que pegar a verdade alheia e fazê-la própria. Os arcanjos são mensageiros daqueles que são deuses para os humanos e, em termos, possuem asas. Não são ilustrados assim à toa.

Meu contato com o arcanjo Auriel aconteceu mediante a atuação dos espíritos do Antigo Egito, aqueles que os humanos chamam de deuses, com os quais tenho contato direto e constante. É notório que as religiões, principalmente as monoteístas, têm seus princípios fulcrados na antiga religião egípcia; como o Livro Egípcio dos Mortos, de onde foram extraídos os 10 Mandamentos dos hebreus. Se a assimilação da cultura de um povo por outro já é algo natural, quanto mais a Verdade, que é onipresente. A Terra gira em torno do Sol, diga quem for e ao tempo que for. Auriel é o pássaro que aparece trazendo algo a Osíris. Este era e é o seu papel e é assim que se faz mensageiro destes espíritos, deuses para os humanos. Os deuses que vieram fazer um trabalho na Terra mantinham e mantém contato com os outros de sua raça que cumpriam e cumprem seu papel fora do planeta. Deuses ficaram aqui e deuses ficaram lá e os arcanjos os conectam.

A primeira vez que entrei em contato pleno com Auriel nesta vida foi na última terça-feira, quando este apareceu espiritualmente para mim à noite em forma de pássaro e me trazendo algo em suas garras; exatamente como ele aparece no antigo papiro egípcio trazendo algo a Osíris. Trazia algo que pelo momento e situação em que eu estava, pelo meu livre-arbítrio e em razão de ser consciente, optei por recusar; o que foi respeitado. Na noite seguinte encontrei novamente Auriel, desta vez no plano astral. Eu estava consciente no plano astral quando saindo de minha casa o encontrei à minha espera junto a um muro lateral da residência. Auriel veio na forma de um homem branco, de cabelos escuros, médios e ligeiramente revirados, com um pouco de barba, vestes brancas, pés livres e com cerca de 30 anos. Veio até mim e em razão do que eu sou para ele passou a responder as diversas perguntas que eu fazia. Aí pude entender o que ele era, qual a sua função, o que fazia, como fazia e como era representado através da história humana.

Acerca da aparência de Auriel, ressalta-se que os anjos podem mudar a sua aparência da forma que seja mais conveniente a quem irá recebê-los. Auriel mostrou-se para mim da forma que seria melhor recebido por mim, na forma com que a minha individualidade o receberia de forma mais receptiva. Anjos são seres que estão sempre trabalhando e quando aparecem a alguém é com um propósito. Para cumprir o propósito para o qual foram enviados devem adotar uma imagem que faça o receptor adotar uma postura receptiva e amistosa para que assim o anjo possa ser bem recebido e cumprir sua missão. Da mesma forma que as aparências importam no plano material no plano espiritual também têm sua importância. Diante disto, tem-se que o mesmo anjo pode assumir formas diferentes para pessoas diferentes, eis que o seu propósito é cumprir a função para a qual foram enviados e para isso devem ser bem recebidos, não importando a aparência, mas o cumprimento da missão.

Os arcanjos fazem a ponte entre os chamados “deuses”, entre os que ficaram na Terra e os que estão fora dela. Por isso são “mensageiros de Deus”, ou, “dos deuses”. Podem trazer e levar mensagens, outras coisas e até mesmo espíritos para encarnar com um determinado casal, daí a figura da cegonha. A cegonha trazendo o bebê é o arcanjo que traz um espírito para encarnar. Por todo o mundo e em toda a história certos nascimentos são avisados e anunciados por anjos. A imagem com que Auriel mais se apresenta às pessoas é como um pássaro, por isso é representado como um no papiro com Osíris, pois ambos fazem parte do mesmo grupo que veio à Terra, dentre outros, para fundar o Antigo Egito. O trabalho do arcanjo é como o de um pombo-correio interplanetário, que leva algo de um ao outro entre planetas e outros lugares e literalmente voando; por isso a forte associação com as asas, que são usadas no deslocamento aéreo autônomo. Os estudos sobre anjos indicam determinados horários para a sua passagem pela Terra, o que é correto, eis que eles não são onipresentes.

As perguntas que fiz ao arcanjo Auriel, em razão de ser o primeiro contato direto pleno nesta vida, foram de cunho extremamente privado e investigativo, dizendo respeito principalmente à minha existência; porém, com relação a tudo que vem acontecendo no Universo e principalmente no planeta Terra, onde estou agora. Existe um absurdo e intenso movimento no plano espiritual entre dimensões e entre planetas; seres, anjos, vindo dos céus para a Terra e vice-versa o tempo todo. Aqueles que conseguem visualizar o plano espiritual bem podem testemunhar o tráfego de seres que existe entre a Terra e outros planetas e o Universo, principalmente os anjos. É visível. A imagem que ilustra este relato foi indicada pelos próprios espíritos do Antigo Egito para minha meditação particular pouco antes dos contatos com Auriel em razão de minha pessoal relação com a cena. Da mesma forma que o arcanjo Auriel veio até mim no Antigo Egito veio novamente nesta vida.

 

 


 

. Para se inscrever para receber por e-mail informações sobre novas publicações neste site basta inserir o endereço de e-mail no campo que se encontra logo acima do botão “Inscrever-se” que se encontra no canto esquerdo da tela deste site logo abaixo de minha foto e seguir as instruções.

.. Contato: https://rudyrafael.wordpress.com/contato/

∴ Para ver outras publicações relacionadas ao tema consulte o etiquetado logo abaixo.

 

Posted in: Rudy Rafael