Nenhuma relação resiste ao Amor de vidas passadas

Publicado em 21 de fevereiro de 2012

94


As pessoas que amam, e realmente amam, não conseguem entender como alguém que amam, e pela qual expressam positivamente este Amor o tempo todo, às preterem em prol de outra pessoa que mal conhecem e que até mesmo lhe traz aparentes sofrimentos. Relacionamentos duradouros, de anos, décadas, com planos estipulados, sonhos em comum, família estruturada, filhos e vida financeira estável em um segundo terminam porque uma terceira pessoa apareceu na vida do casal. Toda aquela segurança, estabilidade e tranquilidade que fazia parecer que tudo duraria para sempre em um segundo cai por terra. Todo o Amor que o casal tinha não teve forças para resistir à entrada da outra pessoa em sua vida e o terreno para o negativo está feito.

A maior força que existe é o Amor. É a maior porque é invencível e irresistível. Nada pode contra e ninguém pode resistir ao Amor. É o último grau da evolução, é onde Deus está, é o que Deus é e não é possível ir contra isto. A força do Amor é incompreendida pela humanidade, assim como todas as outras leis cósmicas, por isso os homens sofrem. O Amor entre duas pessoas, que era para ser algo bom, vem destruindo vidas e causando estragos imensuráveis. Almas estão se corrompendo, vidas sendo desperdiçadas, sentimentos escuros sendo cultivados e uma infinidade de negatividades são os resultados da ignorância sobre o Amor e a sua força. É pela ignorância das pessoas que isto existe, ainda mais quando não se reconhece e não se respeita a força deste Amor.

A forma como os relacionamentos são criados pelas pessoas faz com que as uniões sejam fracas. A qualquer momento duas almas podem se reencontrar e reviver a força de um Amor que às une e nada poderá ser feito. Não existe beleza física, riqueza e estabilidade material, família, filhos, moral, costumes ou lei que possa separar o Amor de duas almas. Almas que viveram vidas na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença, nascimentos e mortes e que possuem uma atração de alma, que atração física alguma chega perto e que pensamento, lógica ou razão alguma pode compreender. Trata-se da afinidade de almas que transpassaram eras juntas, com a mesma missão e que Deus parece ter feito na mesma fornada. O Amor de vidas passadas é irresistível e ninguém pode contra isto.

As relações amorosas entre as pessoas são fundadas em nada; se relacionam porque se acham bonitas, porque lhes é conveniente emocional ou financeiramente, porque gostam de ir aos mesmos lugares, porque ouvem a mesma música ou porque leem os mesmos autores. Nada disso é da alma, tudo é da matéria. O “tipo” de pessoa é da matéria, não da alma. Relacionamentos fundados nisto acabam facilmente com qualquer sopro de reencontro de vidas passadas. Quem quiser que seu relacionamento tenha força o suficiente para resistir à mínima fumaça de um reencontro de vidas passadas não pode nem pensar em ter um relacionamento vazio como estes e quem vive algo assim pode ir dormir todo dia sabendo que poderá perder a pessoa amada no outro dia.

O Amor é devastador, quando vem nada sobra. Não há força maior que o Amor. Uma pessoa pode amar a outra como for, pode ter com ela a família mais perfeita do mundo, com uma bela casa, um bom carro, filhos saudáveis, perfeitos e inteligentes, uma vida financeira e amorosa completamente estável, mas se em um segundo a outra pessoa estiver na fila do caixa da padaria da rua e encontrar um Amor de vidas passadas e as almas se reconhecerem, acabou e não há o que fazer. Não há moral, lei, costume ou dogma que possa separar estas duas almas e é preciso compreender isto. Entender que nada é pra sempre, que o importante é viver cada momento e que quando acabar a única obrigação é consigo, com sua própria consciência, de poder dizer a si que fez a sua parte enquanto durou.

Importa a cada um saber que enquanto a relação durou fez a sua parte; foi fiel, leal, sincero, honesto e deu o seu melhor para a unidade do casal. Deve-se entender que cada um tem um limite de ação, que existe o livre arbítrio e que se trata da força do Amor que veio de tempos anteriores, não apenas de uma mera atração passageira. Nada é por acaso. Não é por acaso que alguém escolhe, abandona ou troca uma pessoa, ainda mais quando à vista da moral humana tudo está perfeito. A pessoa não pode deixar surgir sentimentos negativos contra o mundo, contra os outros e contra si; devendo compreender que este encontro de almas existe pela força que é a maior força que existe. Pregar o Amor quando não se entende que um casal escolheu ficar junto em razão dele é burrice ou hipocrisia.

Casais são formados em todas as vidas, o sentido criador da vida age também nos relacionamentos. Alguns casais se reencontram e outros se formam. Não existe predestinação, existe predisposição. O Amor torna duas almas predispostas a se unir e não é difícil compreender que a força que une um casal que se conheceu na atual vida e que se uniu por motivos que não envolvem a alma é menor que a força do Amor que uniu duas almas em várias vidas passadas em razão da alma e que às une novamente. Ir contra isto é tolice. Ir contra o Amor é tolice e é caminho para o sofrimento. O Amor deve ser aceito, no tempo e na forma que vier. Não importa se está em questão um relacionamento de 350 anos, se há 400 filhos em comum ou se a outra pessoa não trai nem em pensamento.

Não existe desculpa racional que possa justificar a manutenção de um relacionamento onde alguém reencontrou um Amor de vidas passadas. A única força que deve fazer duas pessoas ficar juntas é o Amor, qualquer outra força age no sentido contrário e ao invés de juntar, efetivamente separa. A separação em essência já ocorreu e quando a força do Amor vier, nada sobrará. O tempo adquirido de uma relação, filhos, finanças, comodidade ou conveniência não podem ser utilizados para manter uma relação, só o Amor. A vida é instável, tudo muda o tempo todo e com os relacionamentos amorosos não é diferente. A relação deve existir somente enquanto existir o Amor. Viver uma relação sem Amor ou sentindo um Amor maior por outra pessoa é viver uma mentira.

Não adianta manter à força uma pessoa que reencontrou um Amor de vidas passadas e que se sente inexplicavelmente ligada e atraída por esta pessoa. Mesmo que a pessoa mantenha-se fiel fisicamente, à noite estas duas almas se encontrarão, mesmo que os dois estejam inconscientes e não saibam disto. As duas almas se encontrarão e farão tudo aquilo que não podem fazer no plano material. A pessoa que mantém outra pessoa à força sabendo que o desejo dela é estar com outra pessoa deve saber que quando se trata de Amor verdadeiro, quando esta pessoa dorme a alma dela encontra a da pessoa amada. É o Amor, é mais forte que elas e não existe juízo sobre isto. Se relacionar por conveniência ou atração física é o que os animais fazem e o homem deveria ser um pouco mais que um animal.

Para quem tem consciência do que é viver um Amor de vidas passadas bem sabe a força e o poder que tem esta relação. Somente quando duas almas se reencontram é que existe tão e somente o momento; não existe a carga do passado e o medo do futuro, apenas o momento. Troca-se uma vida por uma noite, sem arrepender-se e com a certeza de que tudo valeu à pena. As percepções são únicas e não há mais nada igual. Dependendo do grau de conexão entre as almas e seus respectivos desenvolvimentos é possível a telepatia plena, onde um pode ver em sua mente o que o outro vê e ambos podem ver juntos os momentos que tiveram em vidas passadas. A conexão das almas é feita entre todos os chakras, o desejo de conexão vai literalmente dos pés à cabeça e as duas almas evoluem juntas.

As pessoas criam relacionamentos porque a outra pessoa faz o mesmo curso acadêmico, gosta da mesma banda, tem o mesmo estilo de se vestir, não lhe trai, com ela não precisa se preocupar em ser traído ou se preocupar com dinheiro, faz parte do mesmo grupo, tem algo atraente fisicamente, tem a mesma noitada, a outra pessoa chama a atenção e lhe serve como troféu, se dão bem na cama ou para não ficar sozinhas. Criam relações vazias e sem sentido, sem envolvimento algum de alma, e depois reclamam quando tudo termina sem sentido. É óbvio que uma relação sem sentido vai terminar sem sentido. Estes relacionamentos são nada para o Amor de vidas passadas. O Amor verdadeiro, de vidas passadas, entra na vida de um casal destes e destrói tudo, não sobrando qualquer coisa.

Quem vive uma relação fundada na matéria merece e precisa perder a pessoa que diz amar para aprender o que é o Amor e a sua força e assim um dia criar uma relação verdadeira, de alma, algo que sobreviva após a morte. Se as pessoas querem viver relações efêmeras baseadas no que é da matéria que paguem o preço da efemeridade da matéria, mas que saibam que o universo não se limita às suas limitações e que existe uma grande consciência universal em expansão e evolução que não vai deixar de viver o que é belo em razão de suas limitações. É uma das graças da espiritualidade, o quanto ela pode sem força alguma destruir a forma tacanha de viver, pensar e sentir da humanidade. É lindo o Amor de vidas passadas que vem e destrói as relações vazias e sem sentido. O mundo precisa de mais verdade.

Contato: http://rudyrafael.wordpress.com/contato/

Para ler outros textos relacionados ao tema consulte o etiquetado abaixo.

About these ads
Posted in: Rudy Rafael